AO VIVO – Apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017

Carnaval Rio – Veja o resultado da Apuração dos Desfiles das Escolas de Samba Carnaval Rio 2017

A apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017 será realizada hoje, 1º março, a partir das 16h45 na Praça da Apoteose, no Sambódromo. A data marca também o aniversário da cidade do Rio de Janeiro. São 452 anos da capital fluminense.

ASSISTA AO VIVO:






O resultado da apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval do Rio 2017 será publicado aqui, assim que forem publicadas as notas finais.

apuração dos desfiles das escolas de samba carnaval Rio 2017
Apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval do Rio 2017

Concorrem ao título de campeã do carnaval do Rio 12 escolas de samba. O desfile das escolas de samba aconteceu em dois dias (26 e 27 de fevereiro).

Apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval do Rio 2017

São nove os quesitos que serão avaliados pelos jurados da Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro (LIESA) na apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017.

Veja os samba-enredo de todas as escolas de samba Carnaval Rio 2017.

A ordem de apuração será a seguinte:


  1. Alegorias e adereços
  2. Bateria,
  3. Fantasias
  4. Samba-enredo
  5. Comissão de frente
  6. Evolução
  7. Harmonia
  8. Mestre-sala e porta-bandeira
  9. Enredo

Na na apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017, a nota atribuída é de 9 a 10 (considerando os décimos 9,1; 9,2…). No total serão apuradas quatro notas para cada quesito, sendo dispensada a nota de menor valor.

Como critério de desempate será considerado o último quesito (no caso o Enredo). Caso a igualdade persista os quesitos anteriores definem o resultado, sucessivamente.




Leia também:

Como acessar o Facebook

Ranking das universidades federais no acesso à informação

Veja curiosidades do Super Bowl 2017, o carnaval dos americanos

Mangueira, atual campeã do Carnaval Rio

Em 2016, após a apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio, a Estação primeira de Mangueira sagrou-se campeã com o samba-enredo Maria Bethânia: A Menina dos Olhos de Oyá.

A segunda colocada do Carnaval Rio 2016 foi obtida pela Unidos da Tijuca, seguida da Portela, Salgueiro, Beija-Flor e Imperatriz. Estas escolas participaram do tradicional desfile das campeãs.

  • 1 Mangueira 269.8
  • 2 Unidos da Tijuca 269.7
  • 3 Portela             269.7
  • 4 Salgueiro 269.5
  • 5 Beija-Flor 269.3
  • 6 Imperatriz 269.2
  • 7 Grande Rio 268.7
  • 8 Vila Isabel 267.9
  • 9 São Clemente 267.8
  • 10 Mocidade 266.5
  • 11 União da Ilha 265.8
  • 12 Estácio de Sá 265

Antes da apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017, escute o samba enredo da Mangueira para o Carnaval 2017 (abaixo)

 

Confira como foi o desfile de cada uma das escolas de samba no Carnaval Rio 2017. A distribuição está por ordem de desfile.

Paraíso do Tuiuti – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – A valorização da cultura nacional




carnaval-2017-tuiutiEm tempos de invasões culturais de todos os lados, no embalo da globalização, a Escola de São Cristóvão levou para a Avenida o enredo Carnavaleidoscópio Tropifágico, criado pelo carnavalesco Jack Vasconcelos – um grito de resistência da cultura nacional.

Campeã do Grupo de Acesso Série A no Carnaval do ano passado, a Tuiuti abriu o espetáculo do Grupo Especial em grande estilo.

Coreografada por Jayme Arôxa, a comissão de frente – Nunca Fomos Catequisados – foi um dos setores mais aplaudidos, o mesmo acontecendo com a baianas, que encarnavam o Relicário Tropicalista.

A exibição do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Marquinhos e Giovanna, que já passaram pela Mangueira e Unidos da Tijuca, também arrancou muitos aplausos da plateia que lotava o Sambódromo, de ponta a ponta. As paradinhas da bateria (Ditadura Embananada) comandada por mestre Ricardinho agitou a galera.

A nota triste ficou por conta de um acidente com a última alegoria da escola, que perdeu a direção e feriu 20 pessoas na curva da concentração. Os feridos foram socorridos pelos bombeiros e levados para o Hospital Souza Aguiar.

Grande Rio – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Tirando os pés do chão

Para homenagear a cantora Ivete Sangalo, a tricolor de Duque de Caxias preparou um desfile grandioso, saudando também a cultura e o carnaval baianos.

Assinado pelo carnavalesco Fábio Ricardo, o enredo Ivete do rio ao Rio, mostrou a trajetória da musa do axé desde a sua cidade natal, Juazeiro, até alcançar o sucesso em Salvador. O rio São Francisco foi usado como o fio condutor dessa história, com suas carrancas, lendas e romarias.

Muitos segmentos receberam o carinho do público, a começar pela comissão de frente coreografada por Priscila Mota e Rodrigo Neri. Logo atrás, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Daniel Werneck e Verônica Lima.

A atriz Suzana Vieira, Musa da Escola, foi bastante festejada pela plateia. A bateria de mestre Tiago Diogo, a rainha Paloma Bernardi e as mães pretas interpretadas pelas baianas abriram nos caminhos para a iluminada Ivete, emocionada com o carinho do público.

Imperatriz – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Noite de festa na aldeia

imperatriz-carnaval-2017Comandada pelo presidente Luiz Pacheco Drumond, a Verde e Branco de Ramos fez um grande ritual na Avenida em defesa das etnias que habitam o coração do Brasil.

O enredo Xingu, o clamor que vem da Floresta, do carnavalesco Cahê Rodrigues, foi aplaudido pelo público, que vibrou bastante com a quarta alegoria, o Belo Monstro, uma crítica à construção da usina de Belo Monte.

Muitos aplausos também para a comissão de frente (O Pássaro Sagrado e o Tesouro de Ramos), coreografada por Claudia Mota, primeira bailarina do Theatro Municipal. As estreias do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Rafaela Teodoro, e do intérprete Arthur Franco, foram coroadas de êxito.

Outro destaque foi a bateria de mestre Lolo, trazendo à frente a rainha Cris Vianna. E para encerrar, líderes xinguanos – entre eles o cacique Raoni – saudaram o público do Sambódromo, agradecendo pelo carinho.

Vila Isabel – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – A negritude de todos os sons

Para orgulho do presidente Levi Araújo e de toda comunidade azul e branca, mais uma vez a Vila fez um grande desfile exaltando as raízes africanas de nossa cultura.

O enredo O Som da Cor, assinado pelo carnavalesco Alex de Souza, fez uma viagem pelas origens dos ritmos negros espalhados pelo mundo, entre eles o Samba.

Dentre os setores que receberam mais aplausos do público, destaques para a apresentação da comissão de frente (Adoração e libertação da força do tambor) coreografada por Patrick Carvalho; logo atrás dela, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Raphael Rodrigues e Amanda Poblete; e a bateria de mestre Wallan Amaral, tendo à frente, a rainha Sabrina Sato.

A parte final do desfile foi uma revisita à inesquecível Kizomba, que deu à Vila o título de campeã do Centenário da Abolição, em 1988.

Vila Isabel – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Entre o céu e o inferno da folia

Traduzindo a obra clássica de Dante Alighieri para o ambiente do Carnaval Carioca, o Salgueiro apresentou em alto estilo a Divina Comédia do Carnaval, enredo assinado por Renato Lage e Márcia Lage.

Para a alegria da presidente Regina Celi dos Santos Fernandes, o público vibrou com a apresentação da Escola tijucana, tendo como um de seus principais destaques a comissão de frente coreografada por Hélio Bejani, Solte suas feras.

Em seguida, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Sidclei e Marcella Alves, encarnava o próprio pecado: Vou me perder pra te encontrar, era o nome da fantasia.

Trazendo à frente a rainha Viviane Araújo, a bateria de mestre Marcão representava os Intendentes do Diabo – uma alusão à sociedade Tenentes do Diabo.

Entre céus e infernos, com escalas no paraíso e no purgatório, o desfile salgueirense foi uma doce realidade carnavalesca.




Beija-flor – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – De um romance nasce uma ópera

apuracao-carnaval-rio-2017Inaugurando a gestão do presidente Ricardo Abrão, a Escola nilopolitana, a Beija-Flor, transformou o romance Iracema, de José de Alencar, numa autêntica opereta popular:

A virgem dos lábios de Mel – Iracema, enredo assinado pelos carnavalescos Laíla, Fran Sérgio, Bianca Behrends, Victor Santos, André Cezari, Cristiano Bara, Rodrigo Pacheco, Wladimir Morellembaum, Brendo Vieira, Gabriel Mello, Adriane Lins e Leo Mídia.

O público ficou até o final para aplaudir a exibição da comissão de frente coreografada por Marcelo Misailidis, Iracema, e a performance do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Selminha Sorriso e Claudinho,

De um romance tão bonito nasceu meu Ceará. As baianas (O encanto das vestais) e a bateria de mestres Plínio e Rodney, a Orquestra Popular Indianista, tendo à frente Raíssa de Oliveira, também fizeram a galera vibrar.

União da Ilha – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – É tempo de Nzara Ndembu

Depois da cerimônia de abertura com a execução do Hino Nacional Brasileiro, rufaram os tambores da Ilha para a apresentação de Nzara Ndembu, glória ao Senhor do Tempo, enredo assinado pelo carnavalesco Severo Luzardo.

A exibição da comissão de frente (Macurá Dilê) e, em seguida, do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Phelipe Lemos e Dandara Ventapane arrancou muitos aplausos do público que lotava as arquibancadas do Sambódromo desde as primeiras horas da noite.

Outro ponto marcante do desfile da tricolor foi a bateria de mestre Ciça, fantasiada de Ogãs, tendo à frente a rainha Tânia de Oliveira, a Pérola do Mar. O presidente Ney Filardi saiu muito satisfeito com a apresentação de sua agremiação. Foi um bom início de espetáculo na segunda metade dos desfiles do Grupo Especial.

 

São Clemente – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – As mordomias do Rei Sol

Traduzido, o título do enredo Onisuáquimalipanse, da carnavalesca Rosa Magalhães, significa “Envergonha-se quem pensar mal disso”, mas os desmandos na Corte do Rei Sol e os gastos abusivos de Fouquet, o Ministro das Finanças da França, sugerem que fatos semelhantes continuem acontecendo em outras partes do mundo…

Os primeiros aplausos do público foram para a comissão de frente (Bailou, como um astro-rei de um poema) e para a apresentação do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Fabrício e Denadir.

As baianas (O Esplendor da Corte), a bateria (Os Músicos da Festa) e a rainha de bateria, Rafaela Gomes (A Arte da Música) também mereceram o carinho do grande público, deixando o presidente Renato Gomes com a certeza do dever cumprido.

 

Mocidade – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Sonhos de mil e uma noites

Terceira Escola a se apresentar, a verde e branco de Padre Miguel levou para a Avenida o enredo As mil e uma noites de uma Mocidade pra lá de Marrakesh, assinado pelos carnavalescos Alexandre Louzada e Edson Pereira.

O desfile foi aberto pela apresentação da comissão de frente, encenando um Teatro de Ilusões. Logo em seguida, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formando por Diogo Jesus e Cristian e Caldas, fez o público vibrar. E este carinho foi maior ainda com a Ala das Baianas, as charmosas Vendedoras de Chá de Hortelã, o refrescante sabor do deserto.

Outro segmento que também fez o público se levantar foi a bateria, encarnando o marinheiro Simbad, navegando no rastro da porta-bandeira Camila Silva, a Dona das Areias. O presidente Wandyr Trindade saiu confiante numa boa colocação.

 

Unidos da Tijuca – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Acidente causa graves problemas

unidos-da-tijuca-carnaval-2017O enredo Música na alma, inspiração de uma nação, criado e desenvolvido pelos carnavalescos Mauro Quintaes, Annik Salmon, Hélcio Paim e Marcus Paulo, sugeria um grande show na Passarela, onde Pixinguinha recebia Louis Armstrong para fazerem um passeio pela música norte-americana.

Infelizmente, um acidente com a segunda alegoria, Nova Orleans, com menos de 10 minutos de desfile, antes do primeiro recuo de bateria, teve graves consequências. Componentes sofreram quedas e outros ficaram presos entre as ferragens.

A ação dos bombeiros foi imediata, socorrendo os feridos, levado-os para o Souza Aguiar. O carro danificado ficou preso em frente ao setor 1. Diversas alas passaram sua frente, enquanto as outras quatro alegorias permaneceram na concentração.

Apesar da gravidade dos problemas, a bateria de Mestre Casagrande manteve o ritmo e os componentes cantaram o samba com muita raça.

Aos 43 minutos de desfile, ainda com os bombeiros trabalhando na parte superior da alegoria, o carro acidentado prossseguiu pela pista.

E atrás dele, as outras alegorias e as alas remanescentes. Mesmo com tantos problemas, os componentes da Tijuca encerraram o desfile com muito brilho e animação. Ultrapassando o tempo regulamentar em apenas um minuto.

 

Portela – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – O fascínio de todos os rios





Com o enredo Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar…, o carnavalesco Paulo Barros procurou mostrar curiosidades dos principais rios do mundo, culminando com as origens da Portela – um rio que passa em nossas vidas.

A abertura do enredo foi dedicada ao fenômeno Piracema, do Rio Amazonas. Logo em seguida, Alex Marcelino e Danielle Nascimento, primeiros mestre-sala e porta-bandeira, simbolizavam Oxóssi e Oxum, protetores da Águia.

Mais adiante, as baianas simbolizavam as Águas Sagradas do Ganges. A bateria de mestre Nilo Sérgio veio caracterizada de Pescadores e à frente deles, a rainha Bianca Monteiro, o fascínio dos homens do mar.

O último setor da Escola foi todo dedicado à mitologia portelense. O presidente Luís Carlos Magalhães saiu convicto de que a Escola está na briga por uma boa colocação.

Mangueira – Escolas de Samba Carnaval Rio 2017 – Muita fé para encerrar o desfile

mangueira-carnaval-rio-2017Para colocar um ponto final nos desfiles do Carnaval 2017, a Mangueira levou toda a sua fé para a Avenida, apresentando o enredo Só com a ajuda do Santo, do carnavalesco Leandro Vieira. O público ficou até o final para prestigiar a passagem da campeã de 2016.

Os primeiros aplausos surgiram para a performance da comissão de frente, Com fé eles chegam; próxima parada: Sapucaí.

Logo depois, a exibição do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Matheus Olivério e Squel Jorgea. Ao longo de várias manifestações de devoção, uma das mais aplaudidas foi representada pelas baianas, Salve Cosme Damião!

A bateria foi um show à parte, fazendo uma singela homenagem a São Francisco, tendo à sua frente a rainha Evelyn Bastos, o pássaro de São Francisco.

Enquanto o público deixava as dependências do Sambódromo, os julgadores lançavam notas e justificativas em seus mapas, para a próxima emoção do espetáculo: a apuração, na Quarta-Feira de Cinzas, 1º de março, aniversário da Cidade.

Confira aqui a Apuração dos desfiles das escolas de samba CARNAVAL Rio 2017

*Resumos dos desfiles e imagens disponibilizadas pela LIESA.

AO VIVO – Apuração dos desfiles das escolas de samba Carnaval Rio 2017
5 (100%) 1 vote

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *