Caminhos até os portais das universidades federais

Origem da audiência é garantida pelos buscadores e acesso direto

caminhos2016O principal meio de comunicação das universidades federais é o portal eletrônico, a página institucional na internet. Essa constatação é pautada em algumas características como o maior alcance de público, o menor custo e ao crescente número de usuários da web, impulsionada, inclusive, pelos smartphones.  Neste cenário, compreender o percurso do visitante do portal é fundamental para criar políticas e direcionar recursos para aprimorar as práticas de comunicação.

Assim, a quarta publicação da série “Transparência, Informação e Comunicação nas Universidades Federais” traz o caminho que o visitante percorre até chegar ao site institucional. Assim, algumas questões serão esclarecidas. Será possível avaliar em que medida as redes sociais geram  acesso ao portal. Mensurar qual a contribuição dos buscadores, como o Google, na composição da audiência ou ainda verificar o quantitativo de usuários que acessam o site diretamente.

A pesquisa

Na pesquisa foram considerados seis caminhos para se chegar aos portais das universidades federais: 1) Buscadores: ou seja, o visitante chega até o portal por meio de links disponibilizados em sites como o google; 2) Acesso direto ao portal; 3) Links em outros sites ou blogs; 4) Redes Sociais; 5) E-mail; ou 6) Display: direcionamentos por meio de banners ou outras peças gráficas. Os dados foram obtidos pelo SimilarWeb e referem-se a agosto de 2016.

Considerando a média das 63 universidades federais, o principal mecanismo utilizado para se chegar às páginas institucionais são os buscadores, com 44%. O acesso direto representa 37,33% e links de outros sites ou blogs, 12,82%. As redes sociais obtiveram apenas 3,64%, seguida do e-mail com 2,19% e do display, 0,02%.

Buscadores

A audiência a partir de buscadores pode indicar a pesquisa por informações específicas das universidades ou ainda conteúdos exclusivos. Neste item a instituição que obteve mais destaque foi a Universidade do Rio de Janeiro (Unirio), com 66,84% do total dos acessos originados de sites como o Google ou Bing. Completam a lista das universidades com mais de 60% neste indicador,as federais Fluminense (UFF), 65,19%, do Rio Grande do Sul (UFRGS), 64,86%, de Juiz de Fora (UFJF), 61,23%, e de Pernambuco (UFPE), com 60,19%.

Acesso direto

Neste indicador a tendência é de utilização de visitantes recorrentes, que conhecem o portal ou site específico da universidade.A Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), com 61,06% lidera neste quesito. As universidades federais de Itajubá (Unifei), 53,87%, e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), com 50,29%, completam a lista que tem mais da metade da audiência via acesso direto.

Links em outros sites ou blogs

O terceiro formato mais utilizado para acessar os portais das universidades federais é o uso de links hospedados em outros sites e blogs. A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) é a instituição que obteve, proporcionalmente, mais acessos via links, com 38,5%. Foi a única que ultrapassou a faixa dos 30% neste indicador.

Redes Sociais

É comum em planos de comunicação digital as redes sociais receberem atenção especial, principalmente pela capacidade de gerar interação com o público. No entanto, quando a análise é vinculada à geração de audiência para os portais institucionais das universidades federais o resultado não corresponde à expectativa.

Um indicativo que pode contribuir para entender o resultado é que a pesquisa considera todos os sites vinculados ao domínio da universidade. Assim, mesmo que o site de notícias da instituição, por exemplo, tenha número significativo de visitantes por meio das redes sociais, esse dado pode ser diluído perante a quantidade de outras páginas hospedadas. Neste contexto, os melhores índices de visitantes oriundos das redes sociais são de universidades criadas recentemente. A Universidade Federal do Cariri (UFCA) com 16% lidera a lista, seguida da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), 12,76%, da Federal do Sul da Bahia (UFSB), 8,77%, e  Federal da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), com 8,51%.

A pesquisa também apontou entre as redes sociais quais são mais utilizadas como meio para acessar os portais institucionais. Para todas as universidades federais o Facebook é o principal caminho para se chegar ao portal institucional, com quase 90%, Youtube e Twitter, respectivamente completam a lista das três mais acessadas.

Para quem acredita que o formato de comunicação via e-mail perdeu espaço, o resultado da pesquisa é um alento, com índice próximo ao alcançado pelas redes sociais. Os destaques neste meio de acesso aos sites das universidades são a federais do Maranhão (UFMA), 6,93%, do Recôncavo da Bahia (UFRB), 6,39%, e do Triângulo Mineiro (5%).

Esta publicação é a quarta da série “Transparência, Informação e Comunicação nas Universidades Federais”. Amanhã, 23/09, a última postagem, sobre os profissionais de comunicação.

1) Audiência das Universidades Federais no Facebook (19/09)
2) Transparência – Ranking do Acesso à informação (20/09)
3) Audiência dos portais institucionais (21/09)
4) Caminho até os portais institucionais (22/09)
5) Os profissionais de comunicação nas universidades federais (23/09)

Caminhos até os portais das universidades federais
5 (100%) 1 vote

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *