Raio-X dos setores de comunicação das universidades federais

Pesquisa apresenta quadro geral dos servidores que atuam na comunicação

raioxcomunicaNa última publicação da série “Transparência, Informação e Comunicação nas Universidades Federais” o tema é a estrutura de recursos humanos das instituições. A pesquisa apresenta o quadro de profissionais de comunicação que compõem os setores de comunicação e qual o perfil dos líderes destas equipes. O estudo foi fundamentado apenas em servidores efetivos e eventuais cargos comissionados nas funções de chefia. Assim, os dados não apresentam a quantidade de estagiários e funcionários terceirizados ou vinculados às fundações.

São apresentados os números de profissionais que habitualmente compõem os setores de comunicação, no entanto, a ênfase da pesquisa está restrita a três cargos: 1) Jornalista;  2) Relações Públicas e; 3) Publicitários. A intenção é apresentar um quadro geral de presença destes profissionais, contribuir para evidenciar eventuais lacunas e amparar possíveis ajustes na distribuição das equipes.

A pesquisa foi organizada pelo jornalista Cristiano Alvarenga e foi fundamentada em informações disponibilizadas no Portal Brasileiro de Dados Abertos e nos sites  institucionais das universidades.

Jornalistas são maioria

Das 63 instituições pesquisadas apenas a Universidade Federal do Cariri (UFCA) não apresenta profissional cadastrado no Portal Transparência, isso porque muitos servidores ainda estão vinculados à Universidade Federal do Ceará (UFC), apesar de exercerem a atividade na UFCA.

Os jornalistas são maioria absoluta, com 81,5% das vagas em comparação com Relações Públicas (13,8%) e Publicitários (4,7%). Essas três áreas totalizam 465 vagas. Considerando outros profissionais vinculados à área de comunicação o número chega a 1.022.

Os dados demonstram que as equipes de comunicação estão incompletas em grande parte das instituições. Apenas 15 universidades federais, por exemplo, possuem o cargo de Publicitário. Já o Relações Públicas está presente em 34 das 63 instituições pesquisadas.Em relação aos jornalistas, há pelo menos um em cada universidade.

Apenas 11 universidades possuem os três profissionais (Jornalista, Relações Públicas e Publicitário) no quadro de servidores. Em quatro instituições a comunicação se restringe a somente um profissional (jornalista). A deficiência no quadro pode ser explicada pela possível existência de funcionários terceirizados ou de fundações que não foram objeto de análise nesta pesquisa. De qualquer forma os dados apontam para a necessidade de investimentos na área.

Federal do Ceará lidera no número de profissionais

A Universidade Federal do Ceará (UFC) é a instituição que possui mais profissionais das três áreas da comunicação analisadas na pesquisa com 29 profissionais, sendo 27 jornalistas, um relações públicas e um publicitário. Cabe ressaltar que neste número estão incluídos os servidores da UFCA, conforme explicado anteriormente. A Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) contabilizam 24 profissionais. Completam a lista das cinco instituições com mais servidores efetivos na área de comunicação a Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com 23, e Federal de Minas Gerais (UFMG), 22.

Quatro universidades possuem apenas um servidor de comunicação. Fazem parte desta lista as federais de Alfenas (Unifal), do Amapá (Unifap), do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) e Rural de Pernambuco (UFRPE). Eles têm um jornalista no quadro funcional.

Setores de Comunicação

A pesquisa também identificou o perfil dos setores de comunicação. Foram coletadas informações nos sites institucionais e obtidos dados de 52 universidades federais.

A nomenclatura é o primeiro item destacado. A maioria, 47%, adota o termo “Assessoria de Comunicação”, no entanto, há diversidade de terminologias. Coordenação (19,6%) e Secretaria (11,7) e Diretoria (9,8%) são os termos mais utilizados.

Entre as chefias dos setores de comunicação há uma distribuição equivalente quando o assunto é o gênero. As mulheres representam uma pequena maioria com aproximadamente 51%. Em relação à carreira, a maioria dos líderes de equipe são professores (54,9%). Já entre os 41,1% dos técnicos que ocupam funções de chefia, os jornalistas são maioria. Acompanhe todos os dados nos gráficos abaixo.

 

Esta publicação encerra a série “Transparência, Informação e Comunicação das Universidades Federais” que foi disponibilizada conforme cronograma abaixo. Em breve será divulgado o e-book com os dados completos da pesquisa.

1) Audiência das Universidades Federais no Facebook (19/09)
2) Transparência – Ranking do Acesso à informação (20/09)
3) Audiência dos portais institucionais (21/09)
4) Caminho até os portais institucionais (22/09)
5) Os profissionais de comunicação nas universidades federais (23/09)

Raio-X dos setores de comunicação das universidades federais
5 (100%) 1 vote

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *